0%
Deputado Estadual Traiano Presidente da Assembleia Legislativa do Paraná

Artigos

“Semeadores do ódio”, por Ademar Traiano Por Ademar Traiano | 06/07/2017

Compartilhe nas redes sociais

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que seus adversários políticos “estão provando do veneno que produziram neste país. Estão colhendo tempestade porque plantaram vento. Este país está com clima de ódio, intolerância, porque eles criaram desde 2013, culpando o PT”.

Não é novidade ver Lula e o PT andando na contramão da verdade, distorcendo os fatos ou mentindo abertamente. Entretanto, é difícil encontrar um exemplo de falácia, mentira e subversão dos fatos tão flagrante quanto esta. Desde 2013, quando a população começou a protestar, até 2016, quando os brasileiros derrubaram o PT, se alguém plantou ventos e colheu tempestades, foi o petismo.

Se alguém ensinou o Brasil a fazer política com ódio foram os petistas. Foram eles que dividiram o país em “nós e eles”, que racharam o país entres os bons (os petistas) e os maus (todos os que não se alinhavam com eles), que apelidaram de “heróis do povo brasileiro”, delinquentes apanhados em flagrante delito.

Essa radicalização insensata e contínua produziu um país dividido e acabou gerando um inédito movimento popular. Significativo o suficiente para exigir nas ruas, e conseguir, a saída do PT do poder. Um movimento que culminou em 2016, quando a radicalização do petismo, combinada com uma corrupção gigantesca, somada a incompetência terminal da ‘presidenta’ petista, Dilma Rousseff, levou o país à ruína.

O PT não admite essa realidade flagrante, que pode ser medida por números inquestionáveis. Como 13 milhões de desempregados, volta da inflação, quedas consecutivas do PIB e recessão. Longe de admitir o petismo foi à causa da própria ruína, Lula insinua que o monumental fracasso de Dilma, que levou às políticas do PT as últimas consequências, seria, como dizia Roberto Campos, um sucesso mal explicado.

Ou ainda o fruto de tenebrosas e risíveis conspirações ianques, inconformados com o “Brasil que tinha virado um protagonista internacional”, ou ainda ciumeiras do pré-sal. Como se Dilma e o PT precisassem de algum tipo de auxílio para afundar o país.

Toda essa fabulação tem por objetivo produzir uma narrativa fantástica que mira o eleitor menos informado, com má memória, a quem se tentará vender a ideia que o país ia muito bem, quando os “golpistas” derrubaram Dilma. Logo, a solução para a crise, criada pelo petismo, seria mais PT.

Já se vê o PT falando, abertamente, que os desastres econômicos, os desmandos, e até mesmo a corrupção – que se tornou a marca registrada do partido – só ocorreram depois que o Partido dos Trabalhadores saiu do Poder…

Essa clara aposta na distorção dos fatos e na manipulação da verdade mostra o tipo de política em que o petismo está apostando. Na mais rasteira distorção dos fatos. Os partidos e os eleitores brasileiros precisam estar preparados para uma campanha sórdida.

* Ademar Traiano é deputado estadual, presidente da Assembleia Legislativa e do PSDB do Paraná.